Day McCarthy: Quem é A Socialite Que Dissemina ódio Pel

23 Apr 2019 21:42
Tags

Back to list of posts

<h1>Bolo De Anivers&aacute;rio Do Filho Autista De Marcos Mion Emociona A Internet: Sentido &eacute; Lindo</h1>

<p>Um servi&ccedil;o de universidade levou o jovem paulistano Jonas Lobo, de 30 anos, a conhecer pessoas com c&acirc;ncer que dependiam de transfus&otilde;es de sangue para resistir &agrave; quimioterapia. Esse contato com os pacientes o inspirou a construir o GDV (Grupo Doadores da Exist&ecirc;ncia), um grupo volunt&aacute;rio que faz campanhas de incentivo &agrave;s doa&ccedil;&otilde;es nos hemocentros de S&atilde;o Paulo e ajuda pacientes a descobrir doadores por meio da web.</p>

<p>Com a assist&ecirc;ncia de Lobo e novas cinco pessoas, o GDV agora conquistou mais de 1.Quatrocentos seguidores no Facebook e est&aacute; a caminho de se formalizar como uma ONG ainda neste ano. Acompanhe a abaixo a entrevista que o R7 fez com o fundador do GDV. Ashton Kutcher, O Murdoch 2.0 : Como &eacute; o servi&ccedil;o do grupo?</p>

<p>Jonas Lobo: O GDV visita hemocentros e faz campanhas pessoalmente de incentivo &agrave; doa&ccedil;&atilde;o. &Agrave;s vezes, vendo as fotos de uma campanha, a galera se anima e vai doar pela pr&oacute;xima. Agora na web, n&oacute;s compartilhamos pedidos de doa&ccedil;&atilde;o de sangue ou medula &oacute;ssea sempre com o consentimento das pessoas. Pedimos uma imagem, o tipo sangu&iacute;neo, o nome completo e o hospital onde a pessoa est&aacute; internada. Quando temos tempo, at&eacute; entramos em contato direto com a fam&iacute;lia. R7: Como aparececeu a ideia de construir o GDV? Como Conseguir Seguidores E Curtidas Reais No Instagram De Verdade : O grupo surgiu de um servi&ccedil;o acad&ecirc;mico da universidade de elabora&ccedil;&atilde;o publicit&aacute;ria.</p>

<ul>

<li>29 CENTRO UNIVERSIT&Aacute;RIO DE MONTANHISMO E EXCURCIONISMO DE S&Atilde;O CARLOS/SP(CUME)</li>

<li>cinco - Comece um programa de marketing de afiliados</li>

<li>Redes sociais - Curadoria ou Elabora&ccedil;&atilde;o de Conte&uacute;do? - Martha Gabriel</li>

<li>Analise e divulgue os resultados</li>

<li>Conhe&ccedil;a os interesses do p&uacute;blico</li>

<li>CEO F&Oacute;RUM - Gest&atilde;o de Talentos e Produtividade: O diferencial dos L&iacute;deres</li>

</ul>

<p>Meu grupo fez uma campanha abordando o preconceito velado que existe pela popula&ccedil;&atilde;o em conex&atilde;o a pessoas com c&acirc;ncer. Este foi um t&oacute;pico muito sutil, visto que n&atilde;o &eacute; descomplicado chegar uma pessoa e requisitar pra ela discursar sobre a doen&ccedil;a e o preconceito. O trabalho mexeu comigo, eu j&aacute; estava envolvido e n&atilde;o tinha mais como eu me distanciar, sendo assim, em mar&ccedil;o de 2014, eu elaborei o GDV. Tabela De Wikis /p&gt;
</p>
<p>R7: Com que prop&oacute;sito ele foi montado? Lobo: N&oacute;s desejamos conscientizar e motivar a popula&ccedil;&atilde;o brasileira sobre a relev&acirc;ncia da doa&ccedil;&atilde;o de sangue e de se cadastrar como doador de medula &oacute;ssea. Tamb&eacute;m, muitas vezes, os pacientes precisam apenas de um abra&ccedil;o e de aten&ccedil;&atilde;o, porque eles se sentem muito sozinhos.</p>

[[image https://cdn0.tnwcdn.com/wp-content/blogs.dir/1/files/2017/08/01-We-Are-Social-Hoostuite-Global-Digital-Statshot-Q3-2017.png&quot;/&gt;

<p>R7: Quais s&atilde;o os perigos de trabalhar com um foco t&atilde;o s&eacute;rio nas m&iacute;dias sociais? Lobo: N&oacute;s temos que tomar muito cuidado com os “fakes”. Infelizmente, existem pessoas mal-intencionadas, que se fazem passar por pacientes ou volunt&aacute;rios, desta maneira, a gente nunca compartilha pedidos de dinheiro. Jaques O. Carvalho aconteceu at&eacute; j&aacute; de vermos um desses “fakes” pedindo doa&ccedil;&otilde;es de sangue, entende-se l&aacute; por que, pra um paciente que n&atilde;o existia.</p>

<p>R7: Quais s&atilde;o os resultados que o grupo tem alcan&ccedil;ado? Lobo: Tem muita gente que agradece e parabeniza o nosso servi&ccedil;o. Alguns nos contam que conseguiram as doa&ccedil;&otilde;es. &Eacute; um trabalho muito de formiguinha: trabalhoso, mas que a gente faz com amor. R7: O que te motiva a continuar com este “trabalho de formiguinha”?</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License